Você me tirou todas as páginas


Bateu uma vontade enorme de escrever sobre você. Mas escrever, oras, isso não é uma coisa tão fácil de se fazer, como amar você. Amar você é um completo desperdício. Você me tira tudo, tira todo o amor que me resta e despeja em você. Sua falta de educação é tremenda, o que custava avisar? O que custava bater? “Olá, eu cheguei para extravasar!” De certo, arrasar meu coração. Cade a permissão? Ter você é como ter aqueles momentos que queremos escrever e passamos metade do tempo rodando a Timeline do Facebook procurando sobre o que falar, no final, sempre acabando com um clichê. Você sabe que o clichê é a denominação de razão e emoção.
Ele sempre acerta.
Eu odeio você, odeio por ter se transformado no meu clichê. E como todo clichê acabou acertando, me acertando.
Você é tão obvio quanto minhas palavras, só você conseguiu enxergar linhas entre elas, geralmente são tão bagunçadas, pra que tanta proeza? Não que eu vá te odiar, mas te odeio. Desculpe se isso é infantil, se é covardia minha, se é frieza, eu não ligo. Eu só quero minha proteção. Minhas palavras já são uma completa bagunça, pra que querer bagunçar meu coração?
Eu me lembro que uma vez você me chamou de dicionário ambulante, disse que eu sempre estava procurando novas palavras, para novas frases, versos, trechos, parágrafos que - segundo você - se transformariam em paginas e que se eu persistisse, viraria um livro lindo. Não sei por que, mas fiquei vermelha, pois você estava falando sobre mim e ninguém, ninguém nunca me denominou de uma forma tão textual.
Nunca fui de me apaixonar por frases, com rimas e conotações diferentes, mas você usou um dicionário inteiro para me ter. Você roubou minhas palavras e me deixou gaga repetindo as mesmas. Frases como eu te amo simbolicamente cafonas para corações desamparados, percorriam agora o desamparo do meu coração. Ele só gritava “Eu te amo! Eu te amo!” Eu, meu caro, “Eu” foi a palavra chave para a declaração. “Eu” já não era mais sua, Eu era só um amor perdido no “Te”. Você já estava longe, contente por ouvir isso e saber que palavras podem sim construir e destruir um coração.
Foi horrível sentir você arrancando minhas páginas, deixando apenas meias palavras em frases típicas de recados para orkut. Curtas e bobas. Eu me tornei um dicionário nada claro. E você, Um gordo livro cheio de conhecimento. Que inveja!



2 comentários:

  1. Caroline Gonçalves9 de junho de 2014 11:07

    Eu amei esse texto, nossa! Me identifiquei muito, me traz tantas lembranças e é exatamente a forma como eu me sinto sobre a pessoa. Esse texto foi tão profundo para mim, incrível.

    Beijos

    http://paradoxoinusitado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Obrigada por gostar tanto do texto amo. Fiz com muito carinho <3

    ResponderExcluir

Fique a vontade para comentar e deixar sua opinião, mas sempre mantendo o respeito.
Comentários apenas para divulgação não serão aceitos, obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...