Meu remedio pra felicidade

FOTO VIA: LEVI SHIACH

A noite estava fria, mas eu ainda podia sentir seu calor. Parecia que você continuava aqui do meu lado, parecia que eu ainda podia ouvir aquela sua respiração pesada, que pesava todas as noites meu coração. Eu podia jurar que você ainda estava do meu lado, só esperando para a próxima lagrima cair e o mais novo desespero aparecer por entre meus olhos. Quem foi que te contou que eu precisava de um calmante? E quem foi que disse que remédio tem prazo de validade? Eu sei que eu deveria exigir uma quantia certa de você, mas ninguém me avisou que certos medicamentos nos deixam dependentes.
Ninguém me avisou que se a validade vencesse, eu teria que comprar outro. Eu não queria outro.
Era tão difícil ver que eu queria você? Se você fosse, para aonde iriam minhas lembranças? Eu não queria ficar sozinha com elas, foi por isso depositei todas em você. Tinha esperanças que se eu fizesse isso, você poderia não querer ir. Quando você chegou assim de repente, querendo meu bem, juro que imaginei você como minha cura, meu remédio. Isso não era pra ser obvio? Quero dizer, quando as coisas vem com a intenção de nos fazer bem, elas não teriam que nos deixar bem? Seu rotulo estava claro, eu li isso bem no seu coração. Então por que você foi? Por que me deixou tão mal? Você sabia que eu precisava de cuidados, você disse que estaria aqui para cuidar de mim.
Eu não vou dizer que você se tornou uma droga, eu não sou viciada nesse tipo de coisa e sei que por mais mal que você tenha me causado, ainda sim queria o meu bem.
Você ainda estava lá quando eu gritava e tossia rancores desamparados, você ainda estava lá quando eu fielmente, te entreguei a pior recepção de todas. Eu fui grossa, rude e mesquinha. Eu não estava interessada em sua bondade, eu só me preocupava com o meu mal. Só o que me importava eram as noites que eu não conseguia dormir por medo de acordar. Eu não queria ouvir aqueles gritos novamente, não queria prestar ajuda a mim mesma, porque sabia que não existia ajuda pra mim. Eu era a pior pessoa do mundo e mesmo assim, você estava disposto a se colocar no meio dele. Entende? No meio daquele meu mundo indisposto.
Esse mundo que hoje já nem sei por que ouvia tantos gritos.
Você além de me despejar cura, me despejou amor. Porem, quando te amei de volta, você saiu. Nunca mais fui acordada no meio dos meus pesadelos, porque eu já não tinha mais pesadelos. Nunca mais de vi passar a mão nos meus ferimentos, porque eu já não tinha mais feridas. Nunca mais senti seu abraço, porque agora eu já não precisava mais da sua calma. Você nunca mais me disse a hora certa para tomar meus remédios, porque me dei conta que o único remédio que eu tive foi você.
E foi ai que você fugiu... Pois eu já estava curada e você tinha que dar espaço para a minha felicidade. Você foi minha cura, mas a felicidade já estava a espera de outra pessoa.
Demorei um bom tempo para entender isso, mas não me leve a mal. Eu só não achava justo a felicidade vir tão fácil depois de todo o trabalho que você teve. 



5 comentários:

  1. Muito bacana o texto Kézia, parabéns! <3

    http://naomemandeflores.com

    ResponderExcluir
  2. Suas palavras fluíram tão calmamente, me encantou com certeza. <3
    www.belapsicose.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Nossa que lindo... Parece um pouco com meu momento, ao mesmo tempo não... Adorei *-*

    ResponderExcluir

Fique a vontade para comentar e deixar sua opinião, mas sempre mantendo o respeito.
Comentários apenas para divulgação não serão aceitos, obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...